Todas as empresas, independentemente da sua dimensão ou setor de atividade, podem ser alvo de ataques de segurança.

Porém, estruturas com maiores vulnerabilidades correm um maior risco.

Os ciberataques originam milhões de euros de prejuízos e podem levar organizações a perder credibilidade, ou até mesmo, a declararem falência. Atualmente, as empresas exigem soluções altamente competentes que possam identificar ameaças antecipadamente, sem interferir com a sua produtividade.

Quer então saber como pode aumentar o nível se segurança da sua empresa contra este tipo de ataques? Leia com atenção estas 5 dicas.

1 — Utilizar uma boa solução de antivírus

Um bom antivírus é um dos melhores recursos para proteger a sua informação. Os antivírus corporativos são desenvolvidos com a finalidade de proteger as corporações e são, dessa forma, mais apropriados para as suas necessidades específicas. O uso de antivírus é indispensável para a proteção dos dados da empresa, e a sua utilização é essencial para a saúde tecnológica de qualquer negócio.

 

2 — Realizar backups de informação relevante

A implementação de uma boa política de backups pode literalmente salvar uma empresa, não aplica só em ciberataques, como também a erros ou falhas que decorram nos sistemas. Faça cópias de segurança regularmente de toda a informação importante para a empresa e, se possível, preserve uma cópia desses backups fora das instalações da empresa ou a soluções digitais, como a cloud.

 

3 — Dotar os equipamentos das mais recentes atualizações de segurança

Quantas vezes adia a atualização sistemas ou softwares da sua empresa? Os hackers podem entrar facilmente na sua rede informática através de equipamentos ou aplicações com versões de software desatualizadas. Por isso, é importante instalar as mais recentes atualizações de aplicações, sistemas operativos ou firmware de equipamentos (ex. routers ou switchs de rede).

 

4 — Ensinar os utilizadores a evitar perigos

No que toca a ameaças de cibersegurança, educar os utilizadores para potenciais perigos é essencial para criar uma primeira linha de defesa sólida. Até as soluções de proteção mais avançadas podem ser comprometidas com um simples clique numa hiperligação de um e-mail que, à primeira vista, parece inofensivo. É, portanto, fundamental que todos os colaboradores saibam identificar os perigos de visitar websites duvidosos, abrir ficheiros de origem desconhecida, ou partilhar informação confidencial com desconhecidos.

 

5 — Definir password seguras e intransmissíveis

Gerir as palavras-passe é uma medida de segurança importante. Uma boa prática será criar passwords que contenham, pelo menos, 10 caracteres, incluindo símbolos, números, maiúsculas e minúsculas. As passwords devem ser pessoais, intransmissíveis e alteradas regularmente. Evite nomes próprios, datas de nascimento ou uma variante de combinações simples.

 

As piores passwords de 2019 foram:

123456
123456789
qwerty
password
1234567
12345678
12345
iloveyou
111111
123123

Faz parte da responsabilidade das empresas zelar pela segurança dos dados que detêm, particularmente, dos dados pessoais, cuja proteção foi fortalecida pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD).

No entanto, é pouco provável que a proteção contra um ciberataque seja uma preocupação constante durante o seu dia a dia, a menos que se torne numa vítima. Nesse caso, certamente que não iria pensar noutra coisa. Por isso, tal como diz o provérbio, mais vale prevenir que remediar!